Conferência internacional reúne 1500 pessoas de 95 Países

Conferência internacional reúne 1500 pessoas de 95 países para discutir violência contra a mulher
por Vera Vieira (*)

A 2ª Conferência Global de Casas-Abrigos para Mulheres: conectar-se, aprender e compartilhar, realizada em Washington-DC, no período de 27/2 a 1/3/2012, com promoção da Rede Nacional pelo Fim da Violência Doméstica (sigla NNEDV, em inglês), dos EUA, e pela Rede Global de Casas-Abrigo para Mulheres (sigla GNWS, em inglês), conseguiu reunir lideranças e ativistas de todos os continentes.

A programação abarcou os diversos focos de toda a problemática da violência contra a mulher — considerada a mais forte e cruel expressão da construção milenar das desigualdades de gênero, que coloca o homem em condição de superioridade à mulher, prejudicando, assim, a evolução democrática de todas as sociedades, já que ocorre independentemente de localização geográfica, classe social, nível de escolaridade, raça/ etnia, etc.

Depois de dois anos de intensa preparação, as organizadoras estavam orgulhosas dos elogios unânimes em termos do excelente nível de logística e de programação. Tudo funcionava perfeitamente bem e na hora programada. Incrível!

 


A cerimônia de abertura contou com a apresentação do som contagiante de um grupo de Olodum. O encerramento contou com a cantora Gloria Gaynor.
 

A programação mesclava atividades gerais, no início, no meio e final do dia, com as 119 oficinas ministradas por representantes do mundo todo, incluindo uma brasileira. Vera Vieira, da Associação Mulheres pela Paz, ficou responsável pela oficina intitulada Redefinindo Paz (UN 1325): construção de metodologia de educação popular para trabalhar com mulheres e homens. Previamente selecionada, ela obteve bolsa para o pagamento das despesas de viagem oferecida pela organização do evento, por intermédio da Avon Foundation e da ONG Vital Voices.

Ministrada no dia 29/2, com uma hora de duração, a oficina contou com a presença de aproximadamente 100 pessoas de diferentes nacionalidades, incluindo brasileiros(as), como Lenise Valentim da Silva, delegada de polícia de Pernambuco, Carlos Zuma, diretor da ONG Noos, do Rio, e Dalila Eugênia M. Dias Figueiredo, presidenta da Asbrad — Associação Brasileira de Defesa da Mulher, da Infância e da Juventude, de Guarulhos. A oficina se transformou em um exercício da metodologia de educação popular, que prima pela construção coletiva do saber.

Contando com o apoio competente de Melysa Sperber, que trabalha na Vital Voices, a oficina teve duas dinâmicas participativas visando trabalhar conceitos importantes — paz ampliada (UN 1325) e construção cultural desigual das relações sociais de gênero. Também foi exibido um vídeo de 13 minutos, em inglês, que foi preparado especialmente para essa conferência, com direção de Donna Roberts (disponível em www.mulherespaz. org.br).

 


Vera Vieira explica a construção estereotipada das relações de gênero.
 
 

Ao final da oficina, as participantes disputaram os materiais da metodologia de educação popular feminista.
 

O evento se transformou, de fato, em um espaço ímpar de conexão e compartilhamento entre pessoas dos diferentes países, assim como, entre participantes do Brasil que vieram de distintas regiões. Além disso, o aprendizado adquirido se deu pela riqueza dos focos das oficinas que apresentaram as experiências locais, indo desde a importância do engajamento de homens na luta contra a violência à mulher, até um modelo de localidade para atendimento às vítimas que supra todas as necessidades (casa-abrigo, atendimento jurídico, psicológico e médico, creche, preparação para o mercado de trabalho, etc.).

 


Grupo de brasileiros(as) presentes no evento.

 

Antes de retornar ao Brasil, houve uma reunião importante na sede da Vital Voices, com integrantes da direção dessa instituição e dos brasileiros Lírio Cipriani (diretor do Instituto Avon), Carlos Zuma e de Vera Vieira. O objetivo principal do encontro foi o de articular um seminário internacional a ser promovido pela Vital Voices e Avon Foundation no segundo semestre deste ano, no Brasil.

 


Ao final da reunião na sede da Vital Voices, uma pausa para uma foto de despedida.

 

(*) Vera Vieira é diretora-executiva da Associação Mulheres pela Paz e coordenadora-executiva da Rede Mulher de Educação. Obteve bolsa para o pagamento de todas as despesas de viagem, oferecida pela organização do evento, por intermédio da Avon Foundation e da Vital Voices.


Mulheres & Homens

1000 Mulheres pela Paz

©2017 - Associação Mulheres pela Paz - Praça da República, 376 - 7º andar - Cj. 71 cep: 01045-000 - São Paulo - SP Fone (55 11) 3224-9454