Parceria Global pelo fim da violência

Parceria Global pelo fim da violência contra mulheres realiza programa internacional de mentoring para ONGs. A diretora executiva da Associação Mulheres pela Paz, Vera Vieira, é uma das dez participantes

Do dia 2 ao dia 14 de maio, a Parceria Global pelo Fim da Violência contra Mulheres recebeu 10 líderes de direitos humanos para um Programa Internacional de Mentoring para ONGs [entre elas, Vera Vieira, diretora-executiva da Associação Mulheres pela Paz]. Dentre os destaques do programa de duas semanas estavam reuniões com a ex-juíza do Supremo Tribunal Federal norte-americano, Sandra Day O’Connor, com oficiais seniores do governo no Departamento de Estado, para discutir assuntos globais que afetam as mulheres e o tráfico de seres humanos, além de um anúncio da sócia fundadora, a Fundação Avon para Mulheres, de sua intenção de expandir seu compromisso por meio da concessão de recursos equivalentes a US$125.000 a cinco ONGs [a Associação Mulheres pela Paz foi contemplada].

As participantes representaram 10 países delegados – Brazil [Vera Vieira], República Tcheca[Katerina Kuncova], República Democrática do Congo[Annie Rashidi-Mulumba), Egito [Mozn Hassan], Jordânia [Nadia Bushnaq], Índia [Kaladadda Sujatha], Libéria [Rosana Schaack], México [Karim Rivera Lares], Rússia [Anastásia Ermoleva] e Turquia [Ayse Nur Gedik] – da Parceria Global pelo Fim da Violência Contra Mulheres, uma colaboração entre Vital Voices, a Fundação Avon para Mulheres e o Departamento de Estado dos Estados Unidos

O programa de mentoring foi ajustado às necessidades das participantes, pois cada uma das quais lidera esforços da sociedade civil pelo fim da violência contra mulheres em suas respectivas comunidades. O treinamento de liderança, que foi realizado em Washington, Nova Iorque e no Arizona, foi desenvolvido para construir o conhecimento, as habilidades e os relacionamentos específicos necessários para fortalecer o desenvolvimento profissional das participantes e a eficácia de suas respectivas ONGs.

O programa também foi uma oportunidade para delegadas parceiras compartilharem suas experiências como ativistas de direitos humanos. Anastasia Ermolaeva, como delegada e recipiente de recursos pela Rússia, disse após o programa: “Estou muito animada depois da nossa jornada. Tive um reconhecimento inédito do meu trabalho.”

 

Enquanto estava em Washington, D.C., as participantes se encontraram com líderes nos escritórios do Departamento de Estado focados em Assuntos Globais que afetam as Mulheres e no Combate ao Tráfico de Seres Humanos, a Casa Branca, a Secretaria da Violência contra Mulher no Departamento de Justiça e a Rede Nacional pelo fim da Violência Doméstica. As delegadas também se encontraram com especialistas em direitos humanos nas suas respectivas embaixadas, e com representantes de países no Departamento de Estado.

 

Em Nova Iorque, as participantes do programa discutiram sobre melhores práticas com o Chefe da Secretaria Municipal de Combate à Violência Doméstica, o Diretor da Brooklyn Family Justice Center (Centro de Justiça Familiar do Brooklyn) e com funcionários da Safe Horizon, a maior agência de apoio a vítimas dos Estados Unidos.

 

Em uma reunião com Jimmie Briggs, co-fundador e diretor executivo da Campanha Man Up, as ativistas consideraram maneiras inovadoras de engajar homens e jovens em iniciativas para acabar com a violência contra as mulheres.
No Arizona, as delegadas discutiram métodos para efetivamente lutar por e implementar legislação, em encontro com a ex-juíza do Supremo Tribunal Federal norte-americano, Sandra Day O’Connor, e outras lideranças, em visita à Faculdade de Direito O’Connor, ao Halle Center for Family Justice (Centro Halle de Justiça Familiar) e ao Center for Law and Global Affairs (Centro de Direito e Assuntos Globais) na Universidade Estadual do Arizona.

 

As participantes testemunharam modelos bem-sucedidos de serviços de sobrevivência nas organizações locais Homeward Bound e SEEDS Domestic Violence Program (Programa de Violência Doméstica SEEDS), e também participaram de oficinas de coaching e mentoring, coordenadas por especialistas nas áreas de violência doméstica e violência sexual.
Em visita no Southwest Indigenous Women’s Collective (Coletivo das Mulheres Indígenas do Sudoeste), as delegadas tiveram uma visão da violência em comunidades marginalizadas e acompanharam policiais de Phoenix no turno da noite para testemunhar, em primeira mão, como policiais norte-americanos respondem à violência doméstica e sexual, bem como a denúncias de tráfico de seres humanos. [Vera Vieira e Kaladadda Sujata tiveram a oportunidade de acompanhar uma chamada envolvendo violência doméstica, ocasião em que puderam ter uma reunião de aconselhamento com a vítima].

 

O programa fortaleceu relacionamentos entre as líderes internacionais, que se conheceram no lançamento da parceria, no encontro realizado em Washington, em março de 2010. Rosana Schaack, uma participante da Libéria e diretora executiva da Touching Humanity in Need of Kindness (Tocando a Humanidade que Necessita de Bondade), disse no final do programa: “Muito obrigada pelas duas semanas maravilhosas com você e com minhas novas irmãs ao redor do mundo. Ainda estou impressionada com a experiência e com a oportunidade de conhecer mulheres tão incríveis.”


Mulheres & Homens

1000 Mulheres pela Paz

©2017 - Associação Mulheres pela Paz - Praça da República, 376 - 7º andar - Cj. 71 cep: 01045-000 - São Paulo - SP Fone (55 11) 3224-9454