Ações das Mulheres da Paz

Evento – Jovens na Campanha Nacional Mulheres pela Paz

No dia 31 de agosto de 2010, mulheres pela paz – guerreiras de muitos anos de luta e jovens em início de militância .

Helena Greco, uma grande guerreira da paz

Uma mulher que não hesitava em denunciar torturas e torturadores.

Cobertura do evento “Jovens na Campanha Nacional Mulheres pela Paz”

No dia 31 de agosto, mulheres pela paz – guerreiras de muitos anos de luta e jovens em início de militância – tiveram a oportunidade de relatar e trocar experiências e debater o conceito ampliado de paz.

Campanha Mulheres pela Paz

A Campanha Mulheres pela Paz – Segurança Humana e Justiça contará com a importante participação das 49 brasileiras indicadas para o Nobel da Paz 2005.

Brasileira no Cedaw

A advogada Silvia Pimentel uma das 52 brasileiras indicadas para concorrer coletivamente ao Prêmio Nobel da Paz de 2005, assume, em janeiro, o segundo mandato de quatro anos (2009 -2012) no Comitê para Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra a Mulher (Cedaw).

Cidadã Paulistana

O título de cidadã paulistana foi concebido a Margarida Genevois, em setembro de 2008. A ativista pelos direitos humanos foi indicada, em 2005, para concorrer coletivamente com 1000 mulheres do mundo todo ao Prêmio Nobel da Paz.

Morreu a Guerreira da Paz Zilda Arns (1934-2010)

No pensamento de Zilda Arns, cidadania e esperança andam de mãos dadas. “Sem esperança, “não há força para sair da pobreza.”

Quem envolve a juventude tem futuro

Gerar e sustentar uma cultura da paz significa fomentar o diálogo entre diferentes caminhos e diversas maneiras de atuar. Trata-se de pôr no mesmo nível de importância as vozes da sociedade. Entre essas vozes, está a das juventudes.

Mulheres & Homens

1000 Mulheres pela Paz

©2017 - Associação Mulheres pela Paz - Rua Coração da Europa, nº 1395 - Bela Vista - 01314-020 - São Paulo/SP - Fone (11) 99647-9497