Rostos de 1000 mulheres pela Paz

EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA, DE 29 DE AGOSTO A 15 DE SETEMBRO DE 2012,
NA GALERIA DO ESPAÇO CULTURAL SEMEAR, EM ARACAJU.

1000 MULHERES PELA PAZ AO REDOR DO MUNDO
Exposição trará fotos das concorrentes ao Prêmio Nobel da Paz 2005.
São mil rostos que se tornaram ícones na luta pela paz, segurança humana e justiça.

Para o Prêmio Nobel da Paz 2005, a associação suíça Mulheres pela Paz ao Redor do Mundo, com o apoio da Unesco, propôs a indicação de 1000 mulheres que, em 150 países, representavam as lutas contra a violência e a discriminação, contra a opressão e a miséria, em inúmeros espaços e frentes.

O Comitê do Prêmio Nobel 2005 não premiou o coletivo das mulheres, mas a articulação internacional que levou à seleção dos 1000 nomes mobilizou diferentes campos da sociedade, revelando a garra e a diversidade da atuação das indicadas, apesar dos múltiplos empecilhos que encontram no seu dia-a-dia.

Agora, seus rostos estarão fixados nas imagens da Exposição Fotográfica 1000 Mulheres pela Paz ao Redor do Mundo, num convite à continuidade e ao aprofundamento da ação das mulheres e de toda a sociedade na promoção da paz, dos direitos humanos, da justiça e da segurança. A abertura do evento acontece em 29 de agosto, quarta-feira, das 19h às 22h, na Galeria do Espaço Cultural Semear, com painel temático sobre a importância de se dar visibilidade ao trabalho das mulheres e os novos desafios de trabalhar a questão da violência doméstica reunindo mulheres e homens. O painel contará com a presença de autoridades e lideranças locais, além de mulheres da paz da região

No Brasil, a coordenação do processo de mobilização e seleção teve à frente Clara Charf, ativista e militante dos direitos das mulheres de longa e reconhecida história, com o apoio de várias representações do movimento de Mulheres, feminista, popular, sindical e da academia. Mais de 300 mulheres foram indicadas por pessoas e organizações do País. Em uma difícil tarefa, a Comissão de Seleção chegou a 52 nomes, notáveis pelas suas lutas e trabalhos nos quilombos, nas aldeias, no campo, em vilarejos, cidades, megalópoles. E seus rostos e perfis são também homenageados na publicação Brasileiras Guerreiras da Paz, cujo relançamento acontecerá no dia da abertura da Exposição.

As iniciativas são uma realização da Associação Mulheres pela Paz, presidida por Clara Charf, hoje com 87 anos, e dirigida por Vera Vieira. Contam com o patrocínio da Petrobrás e com o apoio da Associação Mulheres pela Paz ao Redor do Mundo (Suíça), EED (Alemanha), Fundação Avina, Instituto Avon, Vital Voices, NNEDV e Secretaria de Políticas para as Mulheres do Governo Federal. A imprescindível parceria local é do Governo do Estado de Sergipe, Semear, Revida, Omin e Care.

Ao difundir as imagens dessas mulheres, a Exposição quer deixá-las fixadas não apenas como “memória”, mas como estímulo, efeito multiplicador do que já se fez e do muito que se há de fazer em todo o mundo, por essas e por milhões de tantas outras mulheres que lutam pela paz, cujo exercício se dá no cotidiano.

ASSOCIAÇÃO MULHERES PELA PAZ
Praça da República, 376, 7º andar, cj. 71
01045-000 – São Paulo/SP
Telefax: (11) 3224-9454 – Cel: 9647-9497
Email: associacao@mulherespaz@.org.br
Site: www.mulherespaz.org.br
Presidenta: Clara Charf
Diretora executiva: Vera Vieira
Secretária: Walkíria Lobo Ferraz

Clara Charf, presidenta da Associação Mulheres pela Paz e viúva do guerrilheiro Carlos Marighella, estará em Aracaju, com antecedência, com disponibilidade para entrevista, a partir de 27/08.
Dra. Vera Vieira, diretora-executiva da Associação Mulheres pela Paz, estará disponível para entrevistas já a partir de 26/08.

Deixe seu Comentário:





Seu comentário aparecerá após a aprovação.

Mulheres & Homens

1000 Mulheres pela Paz

©2017 - Associação Mulheres pela Paz - Praça da República, 376 - 7º andar - Cj. 71 cep: 01045-000 - São Paulo - SP Fone (55 11) 3224-9454